21 de Setembro de 2013

 

  Claro que tinham de ser tintos estes néctares do Douro

                um terroir nacional inigualável. São colheitas de 2007 que

                possuímos na garrafeira e pretendemos “abater” neste Inverno.

 

 

 

POEIRA  – Um Douro muito frutado com taninos dos barris, frescos e de final longo.

 

PINTAS  – Muito diferente do que se faz na região com bom corpo, muita fruta e algum creme.

 

BATUTA – Talvez o meu preferido, da Niepoort. Penso ser um dos vinhos mais complexos com taninos fortes, muita frescura e de elevado equilíbrio.

 

QUANTA TERRA – Já aqui referido no blog é sem dúvida um Douro com excelente relação qualidade/preço. Muito espesso na boca com boas notas de frutos vermelhos e um final fantástico.

 

QUINTA DOS QUATRO VENTOS – Bebida ontem uma garrafa ainda resta hoje na memória a grande quantidade de fruta madura de excelente qualidade e aroma.

 

CARM – Fica para o fim pois apesar de ser o mais barato é sem dúvida um grande vinho do Douro.

A família Reboredo Madeira tem neste Reserva 2007 um vinho especial com muitas notas de frutos vermelhos, chocolate e menta.

 

 

 

publicado por cozinhagula às 06:30

pesquisar
 
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


subscrever feeds
blogs SAPO